quarta-feira

CONTOS: A masmorra

Domingo de manhã o sol a pino, ele concede o prazer de um passeio pelo lugar, de quatro com a coleira e o plug  enfiado no cu todo arrombado devido a noite anterior
  "Balança o rabo cadela !" ordena ele,  som estridente do tapa acompanhado de um pequeno gemido devido ao tesão contido.
 O Senhor tinha o porte elegante e atlético com botas de montaria  couro marrom combinando com as luvas, a pele alva com cheiro de macho dominante, rosto esculpido o próprio deus grego com  um lindo sorriso sádico enquanto a guiava até sua masmorra, colocou seu  brinquedinho na gaiola de ferro batido onde continho um pote com ração e água, ela  esperando pra ser usado pelo seu Dono, já se encontrava escorrendo o leite de porca pelas pernas sujas, a boca sedenta pelo divino Dono, já estava inchada e dolorida, conforme o tempo passava ela sabia que precisava mais que tudo pela humilhação, ansiava pra ser seu capacho lambe botas, tinha prazer em ser seu verme, um lixo imprestável, o Senhor reconhecia o estado de sua escrava e fez questão de ir bem devagar, tirou ela da gaiola de ferro  e suspendeu suas mãos com cordas presas no teto, precisava esquentar o lombo cadela, apertou a boceta com força até os olhos escorrerem lagrimas
   "Já quer gozar verme?, fale a verdade "
  "Sim Senhor!'' respondeu em sussurros
  "NÃO GOZE! ",com som agudo e penetrante de sua voz, ele recomeça a açoita la,  torturando o clitóris da imunda, ela já não conseguia se aguentar mais, dor tesão... a voz do Dono já a deixava excitada, depois da longa tortura, desamarrou  o verme, mandou ela se deitar no chão, lhe concedeu o privilégio de lamber suas botas com gosto da sujeira e couro na boca, alucinada com todas aquelas sensações, sentia pelos botas do Dono, ele se dando prazer divino, em movimento de vai e vem
   "Muito bem escrava, agora te concedo o gozo, abaixo das minhas botas sentindo gosto de lama "
   "Sim meu Senhor!, obrigada meu Lord " ele ouviu entre gemidos  ela explodindo em mil pedaços, ali no devido lugar ao chão como um verme e capacho no lugar de paz, em seguida ele a banhou com seu néctar dos deuses, e ela se sentiu feliz no seu devido lugar, na masmorra de seu grande Império.

                                            {Arcanes}_IMPERATOR

3 comentários: