quarta-feira

Erotismo + BDSM = Voltado aos Relacionamentos

Quero abordar este tema, embora muito popularizado pelos diversos tipo de mídia, principalmente em programas televisivos, normalmente os que relatam a vida noturna, digamos o submundo dos desejos ocultos, ainda enfrenta forte tabu. Por experiência e trocas de relatos e percepções de relacionamentos interpessoais, é possível notar que a maioria esmagadora dos relacionamentos está fracassada, ou fracassa no decorrer do tempo, por incontáveis motivos, alguns por desvios de caráter, mentira e falsidade, nestes casos não há do que se falar, porém no meu campo de vista, 90% do esfriamento está diretamente ligado a PERDA DE DESEJO PELA PARCEIRA/O, a convivência diária e quase que robótica, gera esta situação de declínio, perda da libido e do tesão um no outro. 

Por ser algo tabu, cercado de preconceitos, e por cultura opressora imposta pela formação religiosa dos países latinos, juntado a falta de profundidade cultural, o Bdsm é quase algo que proibido, algo visto como depravação pecaminosa. O fato é que o Bdsm cresce e toma vida em sociedades cada vez mais desenvolvidas culturalmente, vide Europa e EUA, onde há milhares de festas, eventos, interessados e praticantes que não tem medo e tampouco vergonha de viver seus prazeres de forma plena. 

O contrário vemos no Brasil, onde o Bdsm precisa ser vivido nas sombras, no noturno, e afins... onde eventos praticamente não existem, se você não morar em São Paulo, capital, você não terá acesso a bons eventos e/ou eventos medianos bem organizados. 

O que venho relatar aqui, é que esta falta de contato e popularidade, priva relacionamentos de terem aquela famosa "apimentada", a exploração de fetiches; por exemplo: o marido que tem tara em enfermeira, feiticeira, mulher gato e etc... consegue sentir prazer vendo outras mulheres, que não a sua, exercendo este papel, mas dentro da sua cabeça alimentada pelo preconceito, ele não consegue imaginar sua esposa, mãe dos seus filhos, exercendo este lado do jogo erótico. E do outro lado as esposas e os esposos, por medo e vergonha de se abrir com o outro, do julgamento que possa recair sobre sua pessoa, o medo de ser rotulado como depravado, impede progressos na relação, traz somente orgasmos mecânicos e frios, quase que sem prazer, isto é, se orgasmo vir, pq em mulheres casadas isso é praticamente inatingível com seu parceiro.

 A eroticidade de roupa de couro, de uma bota, sapatos, luvas, pés, batom vermelho, somente é explorada em filmes e videos consumidos de forma frenética por homens e mulheres casadas, nada contra isto, mas essas pessoas quase nunca pensam " Nossa, vou propor isso ao meu esposo/a, seria legal  experimentarmos", não, preferem ficar só nos videos, se contentando com a realidade a la Black Mirror, de prazer individual, rápido e sem graça, mecânico. Quanto mais elevada culturalmente for a pessoa, mais aberta será para o Bdsm e corajosa para explorar os meandros do erotismo latente que vive em cada um de nós. 

Dom IMPERATOR 



2 comentários:

  1. Olá adoramos o vosso blog, vcs tem fotos muito bonitas 5*****

    Gostávamos que visitassem o nosso; https://casalmigzeza.blogspot.pt/

    Casal Mig Zeza

    ResponderExcluir